Voz de Cristo, voz da Igreja

Voz de Cristo, voz da Igreja

“Inclinai, Senhor, o vosso ouvido e atendei-me.” (Sl 85)

O salmo responsorial faz parte integrante da Liturgia da Palavra, não podendo por isso ser omitido. É um prolongamento da palavra bíblica, com um sentido poético, lírico e meditativo, sendo por isso tão importante como as outras leituras bíblicas. É a resposta da Igreja, com palavras divinas, à oferta salvífica da leitura proclamada. Pela sua natureza, o salmo exige que seja cantado ou recitado, e não simplesmente lido. O salmista quando exerce o seu ministério litúrgico, é convidado a cultivar a espiritualidade do salmo, revelando-se familiar com a dimensão da oração contida no salmo e com seu género e ao mesmo tempo encontrando nele a sua própria voz e seu próprio sentimento.

O adjectivo responsorial tem origem na palavra resposta. Esta resposta não é a resposta à leitura bíblica mas sim ao refrão. Os salmos no seu texto original não trazem refrão, no entanto, é introduzido na Liturgia um refrão selecionado entre os versículos do próprio salmo. Este serve para sublinhar o carácter e o espírito específico daquele salmo. Pode ser cantado ou recitado pela assembleia.

Nos domingos e solenidades, além do Evangelho, são feitas duas leituras. O Salmo Responsorial, posiciona-se entre elas. Nos outros dias litúrgicos, além do Evangelho é feita somente uma leitura; nesse caso, o Salmo Responsorial posiciona-se depois dessa leitura única.

Adaptado de Pierre Journel, A Missa Ontem e Hoje, SNL