À escuta da palavra de Deus

À escuta da palavra de Deus

“Eu sou o pão da vida. Quem vem a Mim nunca mais terá fome e quem crê em Mim, nunca mais terá sede.” (Jo 6,35)

A Liturgia da Palavra é a razão pela qual nos reunimos para ouvir aquilo que Deus fez e ainda tenciona realizar por nós. Quando escutamos a palavra de Deus na assembleia - a primeira Leitura, a segunda, o Salmo responsorial e o Evangelho -  devemos abrir o nosso coração, pois é o próprio Deus que nos fala através do leitor que proclama o texto ou do sacerdote que o comenta.  A necessidade que temos de ouvir é uma questão de vida pois esta Palavra é como alimento sobre a mesa que o Senhor nos prepara para a nossa vida espiritual.

Na celebração, a Sagrada Escritura tem uma enorme importância pois é reconhecida a presença ativa de Cristo nas leituras. Também a proclamação litúrgica das leituras, tais como os cânticos, exprime e promove a comunhão eclesial, fortificando e alimentando a fé. Por isso o Concílio Vaticano II decretou que durante a missa se alargasse ao máximo a riqueza dos textos bíblicos de forma a que a longo prazo seja lida aos fiéis uma importante parte da Sagrada Escritura. Resultante disto foi a repartição por três anos do lecionário dominical e a introdução de uma leitura do Antigo Testamento em cada domingo.

Os Padres deste Concílio evocaram a mesa da Palavra de Deus na relação com a mesa da Eucaristia pois é da mesa do Senhor que recebemos o nosso alimento, o pão da vida, e é à mesa das leituras de domingo que somos alimentados pela doutrina do Senhor. Estas duas mesas para as quais o Senhor nos convida, a liturgia da Palavra e liturgia eucarística, estão de tal forma ligadas que formam unicamente um ato de culto.

Adaptado de Pierre Journel, A Missa Ontem e Hoje, SNL