«Estou na gruta!» - Vivência do Advento-Natal

«Estou na gruta!» - Vivência do Advento-Natal

No presente ano pastoral em que a Diocese de Lisboa aprofunda o sentido da liturgia como um lugar de encontro com Cristo propomos que o caminho de advento e a celebração do Natal do Senhor aconteçam na companhia dos magos.

Segundo o evangelista Mateus, os magos vieram do Oriente e chegaram a Jerusalém guiados por uma estrela. Procuravam o rei que haveria de nascer. Com eles faremos um caminho de busca interior até encontrarmos Jesus numa gruta e não num palácio, como os magos chegaram a supor. A gruta é o local para onde todos confluem: Maria e José, por não terem tido lugar na hospedaria (Cf. Lc 2, 7); os pastores, guiados pelos anjos e, finalmente os magos, guiados pela estrela.

De sítio inóspito a gruta é transformada no lugar onde cada um dá o melhor que tem para acolher este rei de paz. Os pastores e os magos escolheram os melhores presentes para dar ao Menino recém-nascido; por seu turno Maria e José colocam em comum tudo o que receberam, num convívio em que as visitas inesperadas se transformam em convidados de uma festa universal.

No caminho do advento e na celebração do nascimento de Jesus somos tomados – crianças e educadores - com a totalidade do nosso ser pelo despertar dos nossos cinco sentidos em modos distintos de oração. Os símbolos utilizados conduzir-nos-ão ao aprofundamento de diversos elementos simbólicos utilizados na liturgia e presentes nas igrejas neste tempo de Advento e Natal.

Incluímos nesta proposta pedagógica uma sugestão para adaptação em Creche, em encontros de Despertar da Fé desenvolvidos no contexto da comunidade cristã e ainda de trabalho com a família.


Documentos para download